Qual a maneira correta de medir e melhorar o CMV da minha farmácia?

Estabelecer o Custo de Mercadoria Vendida (CMV) em uma farmácia nem sempre é uma tarefa fácil. Isso porque existem muitas variantes que devem ser levadas em conta para definir um preço justo e competitivo para os produtos, especialmente da perfumaria. Por outro lado, esse é um passo muito relevante para estabelecer uma cultura de indicadores para a gestão de farmácias.

Esse demonstrativo também se mostra importante porque, além de ter lucro, é preciso que o responsável pela gestão da farmácia fidelize o cliente, fazendo com que ele compre de forma recorrente em seu estabelecimento. E o preço das mercadorias é certamente o mais importante fator que o consumidor vai avaliar na hora de escolher uma farmácia.

Como definir o valor dos produtos na sua farmácia

O preço final de um produto precisa cobrir o custo direto da mercadoria e das despesas e, ao mesmo tempo, gerar lucro para a farmácia. Basicamente existem duas maneiras para definir o preço de venda de um produto: fazer o cálculo com base nos custos e despesas ou estabelecer o preço de venda com base no que é cobrado pelo mercado.

O ideal é definir o preço fazendo uma avaliação das duas situações, justamente para não estabelecer um valor que não seja atrativo aos consumidores ou que não cubra os gastos da farmácia.

Custo do produto da sua farmácia

No custo do produto (CP), é considerado o preço de compra da mercadoria, sem incluir os tributos, as despesas ou os descontos.

Cálculo de despesas da sua farmácia

No cálculo das despesas, é preciso levar em conta os custos fixos e variáveis da farmácia para, dessa forma, definir o valor da mercadoria. Assim, as despesas da farmácia a serem consideradas são as seguintes:

Despesas fixas (DF) – São os valores que precisam ser pagos mensalmente, entre eles estão o aluguel, o telefone, a energia elétrica, a internet e os salários dos funcionários da sua farmácia.

Despesas variáveis (DV) – São despesas que variam mensalmente de acordo com o volume das vendas. Fazem parte desse grupo as taxas de cartões de crédito/débito e os gastos com embalagens, por exemplo.

Opção tributária

No cálculo do valor final de uma mercadoria, também é levado em conta um dos três sistemas tributários em que as empresas são inseridas: o Simples, o Lucro Real ou o Lucro Presumido. No Simples, por exemplo, a empresa não tem direito a nenhum tipo de crédito tributário. Já no Lucro Presumido, é possível retirar do produto o valor de 18% referente ao ICMS.

Preço de tabela

Esse é o valor bruto do produto que será repassado ao cliente. Nele, estão inseridos os custos do sistema tributário do qual a empresa faz parte, as comissões dos funcionários e o desconto que for estabelecido.

Lucro e margem de lucro para farmácias

Lucro é o que sobra das vendas, menos o custo das mercadorias vendidas e o valor das despesas variáveis e fixas. A margem de lucro (ML) é o número que define o que se espera de lucro sobre o preço unitário do produto.

Markup

Markup é o valor da margem de lucro desejada, adicionado ao preço de custo da mercadoria. Nessa técnica, o cálculo do preço de venda do produto é simples e é possível estabelecer limites para possíveis descontos.

Avalie os concorrentes da sua farmácia

A definição do preço da mercadoria, no entanto, não define o final do trabalho do responsável pela gestão da farmácia. Pelo contrário.

Faça uma avaliação dos valores praticados pela concorrência e, se ela está com uma diferença muito grande em relação ao seu preço, procure ajustar o valor. Você também pode usar outros recursos, como entrega em domicílio e campanhas de fidelização, por exemplo.

Acima de tudo, é preciso unir o lucro à satisfação dos clientes. Afinal, o consumidor é o grande aliado para manter a farmácia atuando em um mercado cada vez mais competitivo.

1 Comentário
  1. sou farmacêutica e proprietária de uma drogaria de pequeno porte e estou me sentindo sufocado com tantas redes abrindo na minha região ,com isto minhas vendasdiminuiram

Deixe uma resposta